Apagamento de /R/ e /S/ em coda no Português Principense

Amanda Macedo Balduino

Resumo


O português principense (PP) é uma das variedades do português faladas em São Tomé e Príncipe e compartilha características estruturais com o português brasileiro (PB), com o português europeu (PE), além de apresentar características intrínsecas, evidenciadas pelo preenchimento consonantal da coda nesta variedade, que a exemplo do PB e do PE, é composto por /R, S, l, N/, porém com ampla variação fonética. Este artigo tem como objetivo descrever o preenchimento consonantal da coda no PP, bem como analisar os processos de apagamento de /R/ e /S/ nesta variedade, na qual foi constatado o desaparecimento de /R/ e /S/ em 55.2% e 12.3% das vezes, respectivamente, e favorecido pelo contexto de fronteira de palavra.

Palavras-chave


português principense; fonologia; apagamento na coda, sílaba.

Texto completo:

PDF

Referências


Agostinho, Ana Lívia. 2016. Róticos em contexto intervocálico no Português da Ilha do Príncipe: fonologia e educação. In: IX ENCONTRO DA ABECS. Brasília, Universidade de Brasília, 28-30 de novembro.

Araujo, Gabriel Antunes de. 2019. Há uma política linguística para o português em São Tomé e Príncipe? Manuscrito, inédito.

Agostinho, Ana Lívia; Bandeira, Manuele & Araujo, Gabriel. O Lung’Ie na Educação Escolar de São Tomé e Príncipe. Trabalhos em Linguística Aplicada 55:

-618.

Balduino, Amanda Macedo. 2018. A nasalidade vocálica no português falado em São Tomé e Príncipe. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, São

Paulo.

Bisol, Leda. 1999. A sílaba e seus constituintes. In: Neves, Maria Helena de Moura (Org.) Gramática do Português culto falado: novos estudos, 701-742. Campinas: Editora da Unicamp.

Boersma, Paul & Weenink, David. 2016. Praat: doing phonetics by computer (Version 5.3.82) Computer Program, 2016. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2018.

Bouchard, Marie. 2017. Linguistic Variation and change in the Portuguese of São Tomé. Tese de Doutorado, New York University.

Brandão, Silvia; Mota, Maria Antônia; Cunha, Claudia. 2003. Um estudo contrastivo entre o português europeu e o português do Brasil: o –R final de vocábulo. In: Brandão, Silvia & Mota, Maria Antônia (Orgs.) Análise contrastiva de variedades do português. Rio de Janeiro, In-Fólio, 2003.

Brandão, Silvia; Pessanhna, David; Pontes, Stefany; Corrêa, Monique. 2017. Róticos na variedade urbana do português de São Tomé. PAPIA 27, 2: 293-315.

Callou, Dinah e Serra, Carolina. 2012. Variação do rótico e estrutura prosódica. Revista do GELNE 14: 41-58

Callou, Dinah; Leite, Yonne; Moraes, João. 1994. Variação e diferenciação dialetal: a pronúncia do /r/ no português do Brasil. In: Koch, Ingedore Grunfeld Villaça. Gramática do Português Falado, 465-493. Campinas: Editora da Unicamp/FAPESP.

Callou, Dinah. 1987. Variação e distribuição da vibrante na fala urbana culta do Rio de Janeiro. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Christofoletti, Alfredo. 2013. Ditongos no português de São Tomé e Príncipe. 2013. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo.

Goldsmith, John. 1990. A. Syllable Structure. In: Goldsmith, John. Autosegmental and metrical phonology, 103-140. Nova Jersey: Wiley-Blackwell Publishing.

Hora, Dermeval; Pedrosa, Juliane; Cardoso, Walcir. 2010. Status da consoante pós-vocálica no português brasileiro: coda ou onset com núcleo não preenchido foneticamente? Letras de Hoje 45, 1: 71-79.

Pedrosa, Juliane & Hora, Dermeval. 2007. Análise do /S/ em coda silábica: uma proposta de hierarquização dos candidatos gerados. Revista Virtual de Estudos da Linguagem – ReVEL. Edição especial n. 1.

INE. 2011. Instituto Nacional de Estatística (INE): São Tomé e Príncipe em Números. São Tomé: 2001. Disponível em: http://http://www.ine.st/2012.html

Mateus, Maria Helena & D’Andrade, Ernesto. 2000. The Phonology of Portuguese. Oxford: Oxford linguistics.

Mateus, Maria Helena & Rodrigues, Celeste. 2004. A vibrante em coda no Português Europeu. Actas do XIXo Encontro.

Rodrigues, Celeste. 2012. Todas as codas são frágeis em português europeu? Revista LinguíStica 8, 1: 138-149.

Rodrigues, Celeste. 2003. Lisboa e Braga: Fonologia e Variação, FCT-FCG, Lisboa.

Selkirk, Elizabeth. 1982. The syllable. In: Hulst, Harry & Smith, Norval (Eds.) The Structure of Phonological Representations, 337-383. Dordrecht: Foris.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


PAPIA

Revista Brasileira de Estudos do Contato Linguístico

e-ISSN: 2316-2767

ISSN: 0103-9415 (da versão impressa, descontinuada)

papia@usp.br

PAPIA é indexada no LATINDEX (http://www.latindex.unam.mx), no IBZ Online e na Linguistic Bibliography.