Português do Libolo, Angola, e português afro-indígena de Jurussaca, Brasil: cotejando os sistemas de pronominalização // The Portuguese spoken in Libolo, Angola, and the Portuguese spoken in Jurussaca community, Brazil: comparing the pronominalization...

Carlos Filipe Guimarães Figueiredo, Márcia Santos Duarte Oliveira

Resumo


Tendo em conta que escravos que aportaram no
Brasil, após permanência no entreposto de São Tomé, eram
falantes de L1s do grupo banto, impõe-se o cotejo sincrônico de
particularidades de variedades vernaculares quer de São Tomé
quer de Angola com o português do Brasil, em geral, e com
falas de comunidades quilombolas deste país, em particular,
se se pretender entender as especificidades diacrônicas destas
últimas. No presente trabalho, estabelecem-se comparações entre
os quadros pronominais do português de Jurussaca, Nordeste
do Estado do Pará, Brasil (doravante PJ), e do português
do Município do Libolo, Província do Kwanza-Sul, interior
de Angola (doravante PLb). A maioria dos informantes do
Libolo tem o quimbundo como L1. A nível estrutural, os
quadros apresentam tanto similaridades quanto dissemelhanças.
Este aspecto sugere que a reestruturação dos sistemas de
pronominalização de Jurussaca e do Libolo terá acontecido
geracionalmente por contato, mas que o primeiro não terá
respaldo unicamente nos antigos substratos africanos do grupo
nigero-congolês. As similaridades e dissemelhanças listadas contribuem também para reforçar a proposta que se avança
de carácter interétnico para o português de Jurussaca, ao mesmo
tempo que se reclama o estatuto nacional de variedade para o
português de Angola.

//

Not only taking into account that the slaves
which berthed in Brazil, after a permanence in the São Tomé
depository, were speakers of L1s of the Bantu branch, but
also in order to understand the diachronic specificities of the
Brazilian Portuguese, in general, and of speeches of Quilombola
communities, in particular, it is necessary to carry out the
synchronic comparison of the latter with those of vernacular
varieties of both São Tomé and Angola. In the present work,
we make comparisons between the pronominal frames of the
Portuguese of Jurussaca, Northeast of the Pará State, Brazil
(PJ), and of the Portuguese of the Libolo Municipality, South
Kwanza Province, in inland Angola (PLb). The majority of
the Libolo informers have the Bantu Kimbundu as L1. At a
structural level, the pronominal frames present similarities as
well as dissimilarities. This aspect suggests that the restructuring
of the pronominalization systems of Jurussaca and Libolo
happened generationally through contact, but that the former
was not backed solely by the old African substrats of the Nigero-
Congolese group. The listed similarities and dissimilarities also
contribute to reinforce the proposition which we present of an
interethnic character for the Jurussaca Portuguese, while we also
claim the national statute of variety for the Angolan Portuguese.


Palavras-chave


Português de Angola/Libolo; Português de Jurussaca; sistema de pronominalização

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


PAPIA

Revista Brasileira de Estudos do Contato Linguístico

e-ISSN: 2316-2767

ISSN: 0103-9415 (da versão impressa, descontinuada)

papia@usp.br

PAPIA é indexada no LATINDEX (http://www.latindex.unam.mx), no IBZ Online e na Linguistic Bibliography.