Aspectos do bilinguismo societal no comércio da fronteira uruguaia-brasileira // Societal bilingualism aspects in trade of the Uruguayan-Brazilian border

Dania Pinto Gonçalves

Resumo


A zona fronteiriça Uruguai-Brasil que estudamos é
cenário do contato linguístico entre duas línguas de poderosas
raízes culturais, demográficas e econômicas na região. Nessa
fronteira, além das línguas nacionais — português e espanhol —
encontramos variantes desse contato linguístico denominado pela
literatura especializada, a Linguística Fronteiriça, de Dialetos
Portugueses do Uruguai (DPU), do lado fronteiriço. Os DPU
são dialetos de base lusitana e sua descrição pode ser encontrada
em Elizaincín, Behares e Barrios (1987). Behares (2011)
considera o produto linguístico dos comerciantes e comerciários
fronteiriços uruguaios como uma das variantes dos DPU. Segundo
Mozzillo (2011), há um outro fenômeno que deve ser considerado
nesta fronteira, um code-switching, característica de indivíduos
bilíngues. Para Romaine (1997) o termo bilinguismo é utilizado
para denominar uma comunidade que se expressa em mais
de uma língua ou um sujeito que também se comunica em
mais de uma língua. As cidades gêmeas de Jaguarão-Rio
Branco se configuram, portanto desse bilinguismo societal. A
comunidade linguística jaguarense, mais especificamente, maneja
dois códigos linguísticos, a saber, as línguas nacionais Português
e Espanhol. O fato de haver um bilinguismo societal nos
leva a crer que os comerciantes e os comerciários estão mais
sujeitos a esse bilinguismo por tratarem com clientes de ambas
as nacionalidades. Para esse trabalho, o que se pretende é
mostrar os resultados parciais dos dados coletados na fronteira
de Jaguarão-Rio Branco, a fim de analisar o produto linguístico enunciado pelos comerciantes fronteiriços brasileiros quando
querem se comunicar em espanhol, como se dá o code-switching
no comércio jaguarense e quais suas possíveis motivações.

 

ABSTRACT: The Uruguay-Brazil border area which we studied
is place of linguistic contact between two languages with strong
cultural, demographic and economical roots in the region. On
this border, besides the national languages – Portuguese and
Spanish – we can find varieties of this linguistic contact that
Border Linguistics [Línguistica Fronteiriça], the specialized
literature, describes as Dialetos Portugueses do Uruguai (DPU),
in the Uruguayan side of the border. DPU are Portuguesebased
dialects and their description can be found in Elizaincín,
Behares and Barrios (1987). Behares (2011) considers the
linguistic product of traders and commercial employees as one of
DPUs variations. According to Mozzilo (2011), there is another
phenomenon that should be considered at this border, a codeswitching
characteristic of bilingual individuals. To Romaine
(1997) the term bilingualism is used to describe a community
that expresses itself in more than one language or an individual
that also communicates in more than one language. Therefore,
the twin cities of Jaguarão and Rio Branco are set in this societal
bilingualism. The language community of Jaguarão, particularly,
handles two linguistic codes, namely, Portuguese and Spanish.
The fact that there is a societal bilingualism indicates that
the traders and commercial employees are more subject to this
bilingualism because they deal with clients of both nationalities.
In this work, we intend to show the partial results of data that
we have been collecting on the Jaguarão/Rio Branco border
in order to analyze the linguistic product produced by border
traders and commercial employees from Brazil when they want
to communicate in Spanish, the way code-switching happens in
the shops of Jaguarão and its possible motivations. Keywords:
Societal Bilingualism, code-switching and motivations.


Palavras-chave


Bilinguismo societal; code-switching; motivações; Societal Bilingualism; motivations.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


PAPIA

Revista Brasileira de Estudos do Contato Linguístico

e-ISSN: 2316-2767

ISSN: 0103-9415 (da versão impressa, descontinuada)

papia@usp.br

PAPIA é indexada no LATINDEX (http://www.latindex.unam.mx), no IBZ Online e na Linguistic Bibliography.