Proust e La Sizeranne: uma rivalidade à luz de cartas e notas de rodapé

Luciana Persice Nogueira

Resumo


Todo o período da Belle Epoque foi marcado por uma cacofonia de disputas, polêmicas e embates de ordem artístico-intelectual. Marcel Proust, depois do fracasso de seu primeiro título de ficção, encontra no trabalho da tradução de dois livros de John Ruskin uma forma de se projetar e firmar como uma voz de respeito junto a seus pares. Mas isso vai lhe exigir forjar uma rivalidade com outro especialista na obra de Ruskin: o crítico de arte Robert de La Sizeranne.

Palavras-chave


Proust; Sizeranne; rivalidade; tradução; Belle Epoque

Texto completo:

PDF

Referências


NAKAO, Yukiko. La scène dans la jeunesse de Proust. Departmental Bulletin Paper, Kyoto University, 2001, pg.121-134. http://repository.kulib.kyoto-u.ac.jp/ dspace/ handle /2433/137918.

PROUST, Marcel. Chroniques. Paris: Gallimard, s/d [1927].

------. Contre Sainte-Beuve (Org. Bernard de Fallois). Paris: Gallimard, 1994 (1954).

------. Jean Santeuil (Org. Pierre Clarac e Yves Sandre). Paris: Gallimard, 1971.

------. Correspondance II, III, VI, VIII, XII, XVI, XXI (Org. Philip Kolb). Paris: Plon, 1976-1990.

RUSKIN, John. La Bible d’Amiens (Tradução de Marcel Proust). Livre Electronique de Project Gutemberg, Canada, [1904]. Acesso: www.gutenberg.ca/.../proustrusk.../ proustrusk.../proustrusk-amiens-00h.html, em 01/12/2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Manuscrítica. Revista de Crítica Genética. ISSN: 1415-4498
Av. Prof. Luciano Gualberto, 403 Sala 18 CEP: 05508-900 - Cidade Universitária São Paulo - SP / Brasil

Telefone: +551130914077
E-mail: manuscritica@gmail.com